As Forças Armadas dos EUA suspenderam o uso dos equipamentos da empresa chinesa DJI por temerem que estes possam ficar fora de controlo em caso de um ciberataque, informa o portal especializado sUAS News referindo-se a uma ordem interna.

Porta-aviões americano USS Carl Vinson no porto de San Diego, foto de arquivo
© REUTERS/ MIKE BLAKE

“Em relação às informações cada vez mais frequentes sobre a vulnerabilidade dos produtos da DJI quanto a ciberataques, o Exército dos EUA deve reduzir a utilização de quaisquer produtos da DJI”, diz-se no documento para divulgação interna que ficou à disposição dos jornalistas.A decisão foi tomada baseando-se em cerca de 300 relatos sobre falhas nos equipamentos da DJI e em um relatório analítico de especialistas técnicos do Pentágono.

Os militares americanos, particularmente, deverão deixar de usar os veículos não tripulados e sistemas nos quais são usados dispositivos eletrônicos ou software da empresa DJI, isto é, computadores de bordo, câmeras, rádio, baterias e reguladores de velocidade.

Um representante do Pentágono confirmou ao sUAS News a decisão dos militares norte-americanos, frisando que os especialistas continuam analisando a questão.

Um relações-públicas da empresa chinesa assinalou que está “decepcionado” com tal decisão e que entrará em contato com a entidade militar americana a fim de ter conhecimento os detalhes do caso.

 

sputnik